DICAS: Como falar em público?

Discurso-Martin-Luther-King

Discurso “Eu tenho um sonho”, proferido pelo ativista Martin Luther King Jr., durante a Marcha de Washington.

Falar em público é uma das mais importantes habilidades para o delegado do MINIONU. Ele precisará defender a posição de sua representação, construir consensos e formular resoluções e recomendações. Normalmente o tempo de discurso de cada delegado será dado pela mesa diretora de seu respectivo comitê. No entanto, os delegados poderão propor moções para aumentar ou diminuir o tempo dos discursos.

Haverá muitas oportunidades para se falar no comitê durante o MINIONU. De modo geral, salvo os comitês que forem regidos por regras específicas, a mesa manterá uma Lista de Oradores para aqueles que desejem proferir discursos formais. Haverá a possibilidade de debates informais. No entanto, recomenda-se que, mesmo nessas situações, se mantenham os princípios da fala em público.

Muitos delegados temem falar em frente a grandes grupos. A melhor forma de lidar com tais situações é fazer uma boa preparação. Portanto, os delegados devem pesquisar de modo exaustivo sobre a posição dos países e acerca dos pontos que desejam incluir em uma resolução. Em uma palavra, se o delegado vem bem preparado para seu comitê, ele terá disposição na fala e transmitirá confiança aos seus pares.

COMO FAZER UM DISCURSO DE ABERTURA

  • Primeiro, agradeça a presidência da mesa dizendo “Obrigado Sr./Sra./ Presidente…”
  • Faça um breve histórico sobre o assunto e sua relação com o país representado.
  • Elabore sobre os efeitos atuais que o tema causa em seu país.
  • Forneça a posição de seu país sobre o tema. Agregue uma justificativa de tal posição levando em conta a economia, política, religião, etc. de seu país.
  • O delegado poderá explicar como a posição de seu país se relaciona com a de outros membros, com as grandes potencies, blocos regionais, etc.
  • Aponte ações já tomadas pela ONU.
  • Apresente idéias para resolução, reforçando os objetivos de seu país para em tal resolução.
  • Indique aos membros do comitê se seu país está disposto a negociar.

COMO FALAR DURANTE O DEBATE

  • Novamente, agradeça a presidência da mesa.
  • Encoraje a colaboração entre os membros do comitê com proposições construtivas.
  • Ao se referir as falas de outros delgados, você pode indicar apoio ou recusa de determinadas posições.
  • Apresente idéias para a constituição de resoluções ou recomendações.
  • Explique o porquê de seu país apoiar ou não determinada proposta de resolução.

ALGUMAS DICAS

Preparação: Decida como você se sente mais confortável ao falar. Você pode usar seu DPO como discurso de abertura ou relacionar alguns tópicos fundamentais. Com o tempo, você se sentirá mais confortável para falar sem o auxílio das notas ou textos de apoio. Se pretender usar sentenças ou palavras que não lhe são familiar, confirme a pronúncia e o significado antes de proferi-las.

Pratique: Ensaiar o discurso é a melhor forma de aprimorar sua habilidade de falar em público. Tente faze-lo junto a um professor, amigo ou colega de simulação. Quando ouvir um discurso, critique-o de modo construtivo. Se receber críticas, use-as como ferramenta para aprimorar sua habilidade.

Leve em conta seu público: Faça seu discurso de modo apropriado a idade e experiência da audiência. Lembre-se que o início do discurso deve captar a atenção dos ouvintes e fazer com que eles queiram ouvir mais.

Elimine palavras desnecessárias: Palavras como “é..”, “ok”, “né”, “então”, dentre outras, podem distrair a audiência e desvia-los do real objetivo.

Use pausas em seu discurso: Momentos de silêncio entre sentenças podem ser uma ferramenta importante. Pausar após uma sentença é importante ou antes de responder uma questão ajuda a manter a atenção da plateia. Ainda, uma pausa pode lhe propiciar tempo para formular sua próxima sentença.

Respiração: Tente respirar usando seu diafragma. Se você respire corretamente, verá o movimento de seu abdômen a cada respiração. Tente inspirar e expirar completamente

Mantenha o Ritmo: Não fale muito rápido, nem muito devagar. Lembre-se de não cair na comum tentação de falar em ritmo muito acelerado.

Escolha uma postura correta: Cuide para que você não assuma uma postura que desvie ou desvirtue a atenção da plateia. Mantenha a postura ereta, relaxe os ombros, pise firmemente e mantenha os joelhos levemente separados, isso irá ajudar a comunicar segurança.

Projete sua presença: Falar em tom médio e baixo pode ajudar a projetar autoridade, mas certifique-se de que você está sendo ouvido. Concentre-se na fala com entusiasmo e energia.

Gestos: Você pode tirar vantagem de gestos e expressões feitas com seu rosto, mãos, braços e corpo. No entanto, preste atenção para não exagerar e distrair o público.

Comunique com seu público: Procure não ler suas anotações, apenas faça rápidas conferências para ajudar a manter a linha de pensamento. Deste modo, você poderá manter contato visual direto com as pessoas de sua platéia.

Não tergiverse: Fale de modo conciso de modo que a platéia não perca os argumentos principais em favor de detalhes sem importância. Tente não falar ‘em círculos’, vá direto ao ponto mais importante.

Seja Positivo: Ao invés de criticar negativamente outro ponto de vista, faça considerações construtivas, propondo alternativas.

Equipe ACNUR (2020)

Fonte: <http://csnu13minionu.wordpress.com/2012/09/23/regras-de-debate-como-agir-ao-longo-da-simulacao/>. Acesso em: 16 set. 2013.

Meet & Greet – ROGGER MARINHO

IMG_20130913_081450

Nome: Rogger Alves Marinho.

Cargo: Diretor.

Altura: 1,85 m.

Signo: Touro.

Idade: 20 anos.

Cor preferida: Azul, vermelho e preto.

Uma música?

É tão difícil escolher uma música, acho que depende muito do meu dia e estado de espírito, mas confesso eu gosto de dançar. Então, uma música animada geralmente é minha escolha hahah.

Um sonho?

Tenho dois que, se Deus quiser, podem ser combinados. Quero viajar o mundo e ser bem sucedido na minha profissão.

Se você fosse um refugiado e precisasse fugir, qual objeto levaria consigo?

Acho que meu celular, não gosto de viajar sem música =b.

O que você espera do MINIONU?

Espero que eu possa olhar pra trás e ver que minha ideia nascida há quase um ano rendeu frutos maravilhoso. Espero também que todos tenham ótimas experiências e que os dias que passarmos juntos se tornem excelentes recordações. 

Uma curiosidade sobre você.

Já lutei taekwondo e sou detalhista, o que pode ser muito bom ou muito ruim hahaha. Tudo depende. 

Equipe ACNUR (2020)

PRIMAL TIMES: EXTRA, EXTRA!!!

cropped-logo_primal

432071_3015621383180_355297472_n

Nathalia Cassiolato – Repórter responsável pelo ACNUR (2020).

O Primal Times faz a cobertura jornalística do MINIONU. Todos os dias, o jornal circula com notícias e informações sobre os comitês. São cinco edições, cada uma com 12 páginas. A cobertura será feita também pelas redes sociais por meio da página: www.facebook.com/jornalprimaltimes. A equipe deste ano possui 25 integrantes, entre editores, fotógrafos, diagramadores, revisores e repórteres. Todos são alunos do curso de Jornalismo da PUC Minas.

A dupla de delegados do Primal Times presente em cada comitê terá duas funções durante o MINIONU: a de repórter e a de assessor. Além de escrever uma matéria para o jornal sobre os fatos mais importantes do dia, eles também irão participar das coletivas de imprensa que serão filmadas. O Primal Times terá também repórteres para auxiliar os delegados e mediar demandas dos diretores com a redação do Jornal. Ao contrário dos delegados, os repórteres não vão ficar o tempo todo dentro do comitê.

O lobby é uma ferramenta legítima da democracia, uma atividade organizada, exercida dentro da lei e da ética, por grupos de interesses definidos e legítimos, com o objetivo de serem ouvidos e, portanto, nestas condições, será permitido.

É importante estabelecer um diálogo que favoreça a comunicação entre as partes, principalmente no dia-a-dia, na troca de críticas e sugestões. Para que os integrantes do Primal Times consigam exercer o papel que lhes cabe é necessária à compreensão e colaboração dos diretores, delegados e voluntários. Ter acesso às informações e as reuniões dos comitês é fundamental no processo de construção da matéria e na divulgação correta da notícia. 616909_115595911919687_1329530514_o

Nathalia Cassiolado.

Meet & Greet – RAFAEL BONADIO

278074_4353045512573_416826437_o

Nome: Rafael Bettini Bonadio.

Cargo: Voluntário de Comitê.

Altura: 1,80 m.

Signo: Leão.

Idade: 20 anos.

Cor preferida: Azul.

Uma música?

É preciso amar – Legião Urbana. Porque a música é bonita e faz total sentido.

Um sonho?

Continuar sonhando.

Se você fosse um refugiado e precisasse fugir, qual objeto levaria consigo?

Um álbum de fotografias.

O que você espera do MINIONU?

Espero aprender coisas que eu não sei, conhecer pessoas novas, fazer novos amigos e ganhar experiência.

Uma curiosidade sobre você.

Já trabalhei com mendigos.

Equipe ACNUR (2020)

Meet & Greet – LUIZA LYRA

1232704_1410475012509273_226596434_n

Nome: Luiza Lyra.

Cargo: Voluntária de Comitê.

Altura: 1,59 m.

Signo: Capricórnio.

Idade: 18 anos.

Cor preferida: Preto.

Uma música?

It’s Cold – Epik High, acho que é a música que eu mais escutei no ano inteiro. 

Um sonho?

Dar a volta ao mundo.

Se você fosse um refugiado e precisasse fugir, qual objeto levaria consigo?

Notebook.

O que você espera do MINIONU?

Que eu possa conhecer muitas pessoas e que essa experiência seja positiva para todos. 

Uma curiosidade sobre você.

Comprar vários livros e acaber não lendo nenhum. E minha avó já foi refugiada na Suíça, o que acabou me motivando a inscrever-me no ACNUR (2020).

Equipe ACNUR (2020)

Meet & Greet – LUIZ FELIPE PEREIRA

IMG_20130907_202553

Nome: Luiz Felipe Dias Pereira.

Cargo: Diretor Assistente.

Altura: 1,70 m (Sem bullying, por favor).

Signo: Peixes.

Idade: 19 anos.

Cor preferida: Azul, acho.

Uma música?

Porque me deu calafrios na primeira vez que ouvi.

Um sonho?

Aprender Tupi-guarani, japonês ou grego.

Se você fosse um refugiado e precisasse fugir, qual objeto levaria consigo?

Minha flauta. Dá pra tocar na rua por dinheiro.  [?]

O que você espera do MINIONU?

Que eu possa me lembrar daqui a muitos anos e ter certeza que valeu a pena.

Uma curiosidade sobre você.

No meu caso, pelo menos, raramente notam, e quando notam, acham bizarro. Normal, é engraçado mesmo.

Equipe ACNUR (2020)

Espere o inesperado: Crises e Intervenções

Durante as discussões que serão realizadas nos dias de simulação, é possível que ocorram alguns momentos em que poucos delegados desejem se pronunciar, os discursos fiquem polarizados, ou percam o foco. Em situações como essa, dois dos recursos que podem ser utilizados são as intervenções e crises. São mecanismos usados para mudar o foco do trabalho de um comitê, alterar a conjuntura da realidade simulada, inserir novos elementos na discussão, esclarecer fatos, dados, conceitos ou dinâmicas que os delegados não parecem compreender plenamente, provocar maior tensão a fim de conseguir uma experiência mais rica.

Caso os diretores optem pelo uso desses recursos, o mais provável é que um mensageiro entre no comitê trazendo uma informação. A partir daí as discussões mudam imediatamente de rumo, em função dessas novas informações. Os interventores representam personalidades reais que levam informações ao comitê, cumprem formalidades ou possibilitam o contato com outro grupo ou Organização (normalmente na forma de discussões e sessões de perguntas e respostas).  É importante ressaltar que a intervenção ou crise podem ser usadas, mas não tem necessariamente que acontecer durante a simulação. Caso elas aconteçam, é importante estar sempre atento às informações, manter a calma e direcionar o foco das discussões para o assunto trazido à atenção do comitê.

  • Crise: Algo está acontecendo no mundo em tempo real que necessita ser solucionado imediatamente. Sejam civis com risco de morte, catástrofes naturais, invasões, sequestros, assassinatos, entre outros. O comitê é lacrado para que se solucione a situação, o mesmo só é reaberto após a solução da crise.
  • Intervenção: Um mensageiro entra no comitê trazendo uma informação. As discussões mudam, no mesmo momento, de rumo; em função das novas informações trazidas pelo mensageiro.

Letícia do Carmo.